• Valemobi

JBS compra Vivera, empresa europeia de proteína vegetal, por R$ 2,29 bi

A JBS (JBSS3), maior fornecedora mundial de carnes, comunicou ao mercado nesta segunda-feira, 19, a compra da produtora holandesa de alimentos vegetais Vivera BV, por 341 milhões de euros (aprox. R$ 2,29 bilhões).


Trata-se de uma compra estratégica da empresa, que está de olho no forte crescimento do mercado vegetariano brasileiro e internacional, conforme fato relevante divulgado ao mercado.


A Vivera fatura cerca de 80 milhões de euros (aprox. R$ 538 milhões), tem um portfólio de 50 produtos de proteína vegetal e comercializa para 25 países europeus.


Com três unidades fabris e um centro de pesquisa e desenvolvimento na Holanda, o atendimento da empresa cresce cerca de 25% ao ano na Europa, especialmente entre holandeses, alemães e ingleses, que respondem por 60% do mercado de “plant-based” europeu.


Em entrevista dada à Reuters, o CEO global da JBS, Gilberto Tomazoni disse que os produtos da Vivera têm entre as principais matérias-primas as proteínas de soja e de ervilha, além de cogumelos e beterraba.


Afirmou também que os alimentos contam com uma “aceitação grande junto a uma nova geração de consumidores” e também deverão ajudar o mundo a alimentar sua população crescente de uma forma melhor.


A aquisição, que ainda deve ser aprovada pelo Cade, coloca a JBS na terceira posição de produção de base vegetal na Europa e amplia significativamente a presença da companhia no segmento sem carne.


A JBS vegetariana


A JBS entrou no mercado de base vegetal em 2019 e, desde então, suas equipes em todo o mundo trabalham no desenvolvimento de novos produtos da linha.


A empresa conta com a Planterra, nos EUA, que comercializa 10 produtos à base de plantas sob a marca OZO, em mais de 3 mil lojas espalhadas pelo país. As vendas desses alimentos aumentaram 300% no ano passado.


Por aqui, a JBS conta com a linha Incrível, da Seara, que detém liderança nacional em hambúrgueres vegetais, com 57% do mercado. E na Europa, a Vivera será um acréscimo, porque a companhia tem a subsidiária Moy Park, que trabalha com hambúrgueres de frango falsos.