• Facebook - Grey Circle
  • LinkedIn - Grey Circle

©2010-2017 - Valemobi Consultoria Empresarial S/A.

Todos os Direitos reservados.

contato@valemobi.com.br
+5511 3024-8080

January 16, 2018

April 26, 2017

April 10, 2017

March 27, 2017

December 22, 2016

November 18, 2016

Please reload

Posts Recentes

Confiança da Indústria e do Consumidor têm menor nível da série histórica

02.09.2015

Dados divulgados pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) indicam que a Confiança da Indústria e do Consumidor tem apresentado o menor nível da série histórica desde sua sondagem, iniciada em 2005.

 

Índice de Confiança da Indústria (ICI)

 

 

 

O ICI recuou 1,6% em agosto na comparação com julho, passando de 69,1 para 68,0 pontos, o menor nível desde o início da sondagem mensal.

 

O índice acumula seis quedas desde fevereiro deste ano, com destaque para março, que recuou -9,2% quando perdeu 7,6 pontos apenas em um mês.

 

No mês de julho o índice teve um alívio após cinco meses consecutivos de quedas, subindo 1,5%, mas o superintendente da FGV, Aloisio Campelo Jr, destacou “a queda do ICI de agosto sugere que a alta do mês passado teria sido um evento passageiro”.

 

Se comparado ao ano passado, a queda é bem maior, em julho a queda foi de -18,4% em comparação ao mesmo mês do ano passado, em agosto o recuo foi um pouco menor, de -17,9%.

 

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC)

 

 

O ICC em agosto caiu -1,7% atingindo os 80,6 pontos, o menor nível pelo segundo mês consecutivo desde sua sondagem.

 

Com a queda no mês de agosto, o indicador acumula quatro baixas consecutivas. A última e única alta deste ano aconteceu em abril, quando o índice avançou 3,3%.

 

Ao comparar os dados atuais com os do ano passado a queda de ambos passa dos 20%, em julho o índice teve recuo de -23,1% e em agosto de -21,6%.

 

Para a Coordenadora da sondagem, Viviane Seda Bittencourt, os consumidores estão cada vez mais pessimistas em relação ao futuro da economia. Ainda completa que a perspectiva para o mercado de trabalho é a pior dos últimos 10 anos. “Esses fatores vêm afetando negativamente as decisões de consumo das famílias”, afirma Viviane.

 

Share on Facebook
Please reload

Please reload

Arquivo