• Valemobi

BCE prevê crescimento de 4% no PIB da Zona do Euro e aumentos na inflação

O Banco Central Europeu (BCE) atualizou, nesta quinta-feira, 11, suas projeções econômicas relativas à zona do euro. O banco decidiu manter inalteradas as taxas de juros e apontou um aumento no ritmo de compras da dívida de seu programa contra a pandemia causada pelo Covid-19.


A velocidade do Programa de Compras de Emergência para a Pandemia de Covid-19 (PEPP) será acelerada. Esta alta "supõe um risco para as condições de financiamento" da economia, afirmou a presidente do BCE, Christine Lagarde, durante coletiva de imprensa, e disse também considerar como riscos de curto prazo as medidas para conter a disseminação do coronavírus e de suas novas variantes


Além disso, a presidente afirmou que o andamento da vacinação contra a doença influi muito para que essas incertezas de curto prazo ofusquem melhores perspectivas de longo prazo e mantenham inconstantes as projeções da zona do euro.


Ainda em entrevista coletiva, a representante expôs que as expectativas do banco central não mudaram, apontando para um crescimento do PIB da Zona do Euro de 4% neste ano, ante os 3,9% previstos em dezembro do ano passado.


A previsão é de que haja uma alta de 4,4% em 2022 e de 2,1% no ano seguinte.


Porém, ao falar de inflação, as novas projeções representam uma revisão em alta, segundo Lagarde. A taxa permanecerá dentro do objetivo do BCE, que pretende seguir abaixo de 2%. Desse modo, a inflação deverá se manter a 1,5% durante 2021, 1,2% em 2022 e 1,4% em 2023.


Entretanto, a líder admitiu que, em determinados meses, a percentagem pode alcançar ou superar os 2% pretendidos.


Em 2020, o percentual de inflação firmou-se nos 0,3%.