• Valemobi

Bloqueio do Canal de Suez pode impactar na economia mundial

O bloqueio provocado pelo meganavio Ever Given, encalhado no Canal de Suez, desde terça-feira, 23, pode impactar na economia mundial caso não seja resolvido rapidamente.


O canal é a principal rota marítima do mundo, responsável por aproximadamente 10% do comércio marítimo internacional, transportando diariamente cerca de US$ 9,5 bilhões em mercadorias.


As autoridades locais de resgate vêm enfrentando dificuldades para remover o Ever Given, embarcação de 400 metros de comprimento, desde o dia 23.

Desde então, uma longa fila de navios que precisam utilizar a passagem foi se formando no canal. Segundo dados, já são mais de 100 navios parados na região aguardando o desbloqueio.


A logística mundial de contêiners, que foi extremamente impactada desde o início da pandemia e gerou aumento nos preços de frete das mercadorias (com foco para as rotas saídas da Ásia), vinha se recuperando e conseguindo reduzir tais valores desde o início deste ano.


Entretanto, com o bloqueio, a expectativa é que estes valores, que estavam em queda, tornem a crescer.


Além do frete, as cadeias globais de suprimentos e commodities estão sob risco de desabastecimento, devido à imensa quantidade e a variação de produtos transportados pelo Canal de Suez.

“Enquanto a Autoridade do Canal de Suez trabalha para liberar o canal, o tráfego está aumentando e a falta de insumos vai causar interrupções nas cadeias de abastecimento”, afirmou Joanna Konings, economista sênior do ING.

O impacto da situação para o mercado brasileiro, porém, ainda é incerto e depende do tempo que for levado para solucionar o problema, afirmaram analistas.

“Se o problema no Canal de Suez for resolvido até segunda-feira, o efeito será pequeno. Haverá atrasos nas escalas dos navios, congestionamentos, mas em uma semana esse impacto já deverá ser absorvido. O problema é se o bloqueio durar mais do que isso”, disse o sócio da consultoria Solve Shipping, Leandro Barreto.

As equipes de resgate projetaram que a embarcação deve ser liberada somente na quarta-feira, além do que era esperado por Barreto.


Além disso, existem também previsões de que a operação leve semanas para ser realizada.