• Valemobi

CSN começa a vender participação na Usiminas

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), comandada pelo empresário Benjamin Steinbruch, começou a se desfazer de sua participação na Usiminas. Na manhã desta sexta-feira, 7, a empresa vendeu 56 milhões de papéis da concorrente, o que representa metade de sua posição na companhia, por meio de um leilão na Bolsa de Valores de São Paulo.


A oferta, descrita como o maior block trade deste ano até agora, movimentou cerca de R$ 1,3 bilhão – ajudando na desalavancagem prometida por Steinbruch.


De acordo com informações do Estadão, a CSN se comprometeu, para executar essa venda, a não vender o restante da fatia por um período de 45 dias. Depois disso, um novo leilão deverá ser feito, segundo fontes com conhecimento no assunto.


A decisão da CSN é de manter as ações ordinárias (ONs), aquelas que têm direito a voto. Contudo, por decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade, a companhia não pode exercer seus direitos políticos, uma vez é que concorrente da Usiminas.


O jornal afirma ainda que o Cade já havia determinado que a CSN deveria se desfazer de todas as ações detidas na siderúrgica, mas por conta de um período de grande desvalorização, a companhia conseguiu postergar o prazo.


Ibovespa


Após o leilão ser encerrado, as ações da Usiminas (USIM5) já abriram em queda. Às 15h10 (horário de Brasília), os papéis caíam mais de 3% e estavam entre as principais quedas do Ibovespa.


Contudo, mesmo com a queda de hoje, as ações da companhia reportam um crescimento anual de 377% (confira o desempenho da siderúrgica pelo TradeMap).


O que é block trade?


Trata-se de uma ordem de venda em bloco, ou seja, uma opção de lançar uma grande quantidade de ativos no mercado de uma só vez.


Essa negociação de um grande lote costuma ocorrer na forma de leilão na bolsa de valores, que deve ser avisada com antecedência. Essa é uma medida utilizada para evitar uma volatilidade extrema na cotação da ação, que poderia fazer com o que o preço despencasse.