• Valemobi

Ibovespa alcança os 120 mil pontos e fecha em alta pelo terceiro dia consecutivo

Pelo terceiro dia consecutivo, o Ibovespa fechou em alta. Com subida de 0,84%, o principal índice da B3 terminou o dia em 120.294 pontos.


Não só hoje, como nos dois dias anteriores também, o destaque das altas ficaram com as siderúrgicas, que vivem um bom momento com o boom das commodities. Exemplo de Usiminas (USIM5), com alta de 4,21%, seguida pela CSN (CSNA3), que cresceu 3,15%, e pelas ações da Gerdau (GGBR4), com elevação de 1,63%.


É o mesmo caso das petrolíferas. Com a revisão da demanda pela OPEP e a valorização na cotação do petróleo com a queda nos estoques nos EUA, os papéis ordinários (PETR3) e preferenciais (PETR4) da Petrobras tiveram um dia de forte alta. Fecharam em 1,73% e 1,54%, respectivamente. E a PetroRio (PRIO3) subiu junto também, em 1,46%.


Também teve o impacto da Vale (VALE3), que novamente atingiu recordes no seu valor de ação. Hoje, a mineradora fechou o pregão valendo R$ 106,99, após subir 3,29%.


O bom desempenho das commodities e, consequentemente, da bolsa hoje, 14, é reflexo do exterior. A expectativa é de que a recuperação econômica dos Estados Unidos e de outros países na Europa movimente a demanda pelos produtos e faça o motor da economia internacional girar.


Só assim para os investidores ignorarem o cenário político-econômico interno que vai mal.

Por aqui, temos um noticiário que segue conturbado em Brasília, com a CPI da Covid-19 confirmada pelo STF, o Orçamento de 2021, que ainda não foi definido, e a nova PEC “fura-teto”, que visa acomodar as emendas dos parlamentares incluídas no Orçamento, além de despesas dos programas de combate a pandemia.


Mas tudo isso ficou de lado nesta quarta-feira.


No mercado americano teve resultados do primeiro trimestre do JP Morgan e da Goldman Sachs. Ambos apresentaram números recordes, com lucro líquido de US$ 14,3 bilhões e US$ 6,84 bilhões, respectivamente.


Também teve a divulgação do Livro Bege do Federal Reserve (BC americano), documento em que os diretores da instituição passam a sua visão com relação ao estado atual da economia americana. Em discurso, o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou novamente que só irá diminuir a compra de títulos públicos quando as metas de pleno emprego e o teto de inflação estiverem próximas.

“Chegaremos ao momento em que vamos reduzir as compras de ativos quando tivermos feito mais avanço substancial na direção de nossas metas em relação a dezembro passado”, destacou.

Já o dólar comercial teve queda de 0,82%, a R$ 5,670 na compra e R$ 5,670 na venda.


Principais índices dos EUA fecharam mistos

O S&P 500 caiu 0,41%, a 4.124 pontos.

O Nasdaq fechou em 13.857 pontos, após recuar 0,99%.

E o Dow Jones subiu 0,16%, a 33.730 pontos.


Bolsas da Europa fecham sem direção única,

no início da temporada de balanços corporativos


O índice Stoxx 600 Europe encerrou o dia em alta de 0,19%, aos 436,57 pontos.

Em Frankfurt, o DAX recuou 0,17%, a 15.209,15 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 avançou 0,71%, a 6.939,58 pontos.

Paris, o CAC 40 subiu 0,40%, a 6.208,58 pontos.

Milão, o FTSE MIB recuou 0,10% e,

Em Madri, o IBEX 35 avançou 0,80%.


Já as bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta

Foram impulsionadas por ações de tecnologia, após uma série de empresas chinesas de internet se comprometerem a cumprir leis antitruste.


O Xangai Composto teve forte queda de 0,48%, a 3.396 pontos.

Em Sydney, o S&P/ASX 200 aumentou 0,04%, a 6.976,00 pontos.

O índice japonês Nikkei registrou alta de 0,72% em Tóquio, a 29.751 pontos.

O Hang Seng, em Hong Kong, teve aumento de 0,29%, a 28.479 pontos.

Acompanhe as cotações em tempo real no TradeMap Web.

Posts recentes

Ver tudo