• Valemobi

Kalunga, CFL e Rodobens interrompem IPOs

Atualizado: Mar 25

A Kalunga, o grupo Rodobens e a CFL Inc decidiram interromper suas ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).


Desse modo, cresce ainda mais a fila de empresas brasileiras que tiveram os planos de captar recursos na bolsa atrapalhados por conta da intensa volatilidade do mercado.


Somente no ano de 2021, o número de processos IPO interrompidos chegou a 21, conforme dados da Comissão.


A Kalunga, rede de lojas brasileira especializada venda de materiais de papelaria e eletrônicos, fez o pedido de IPO em dezembro.


Segundo a empresa, os recursos da oferta seriam utilizados para abrir novas lojas, para reforçar seu capital e também fortalecer seu negócio de gráfica rápida.


O Rodobens, grupo brasileiro automotivo, financeiro e imobiliário, entretanto, realizou o pedido em fevereiro.


No prospecto preliminar, o grupo disse pretender obter recursos para comprar rivais, investir em plataforma digital e aumentar sua oferta de crédito.


Já a incorporadora CFL Inc Par pretendia captar o dinheiro para realizar a compra de novos terrenos e para aumentar o capital de giro.