• Valemobi

Smart Fit define faixa em IPO e pode movimentar mais de R$ 2 bilhões

A Smart Fit definiu a faixa indicativa de ações entre R$ 20 e R$ 25 em sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) na B3, a bolsa brasileira.


Com isso, a oferta poderá movimentar até R$ 2,5 bilhões, considerando o topo da faixa estipulada pelos coordenadores da operação e com a quantidade inicial de 100 milhões de ações.


No documento entregue à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia informou que o IPO poderá ser acrescido, caso haja demanda, em 20% de ações adicionais, além de um lote suplementar de 15% do total inicial.


De acordo com o prospecto da Smart Fit, o preço por ação será definido no dia 12 de julho, após o encerramento do procedimento de bookbuilding.


Já os papéis devem estrear na Bolsa de Valores de São Paulo em 14 de julho, sob o ticker de negociação SMFT3.


Segundo a rede de academias, os recursos provenientes da oferta serão utilizados para:

  • Retomada do plano de crescimento de academias Smart Fit

  • Aquisição de ações da SmartEXP

  • Oportunidades de aquisições estratégicas

  • Investimentos em iniciativas para o desenvolvimento e fortalecimento do ecossistema fitness da companhia

Os coordenadores da operação são Itaú BBA, Morgan Stanley, BTG Pactual, Santander Brasil e ABC Brasil.


Aporte garantido


Mesmo antes de dar a largada, o IPO da Smart Fit já conta com investidores de peso. A gestora Dynamo, que já é acionista da maior rede de academias, separou o valor de R$ 350 milhões para a operação e, com isso, vai aumentar sua fatia na empresa.


O Canada Pension Plan Investment Board (CPP) e a Novastar, afiliada do GIC Special Investments, também vão ancorar a oferta inicial da Smart, totalizando R$ 750 milhões.


Lâmina de IPO


Agora você pode analisar todos os IPOs em andamento na CVM direto pelo TradeMap!


Acesse nosso portal, clique no Módulo de Ações e, em seguida, selecione a aba “IPOs”, que fica na barra superior central da tela.


Por lá, você conseguirá acompanhar todas as atividades relacionadas à oferta pública inicial, como valor da operação, faixa estimada pelos coordenadores, cronograma do IPO e muito mais!


O que é bookbuilding e para que serve?


De um modo resumido, o bookbuilding é o processo utilizado para definir um preço justo para o IPO ou oferta subsequente de ações (follow on), que seja adequado à intenção de compra dos investidores.


Por isso, durante o processo, os coordenadores da oferta estudam e avaliam a demanda de seus ativos no mercado. Assim, eles conseguirão estimar o preço que poderá praticar e a quantidade de ações ou títulos que poderão ser oferecidos. Veja mais detalhes aqui.

Posts recentes

Ver tudo