• Valemobi

Vittia Fertilizantes define faixa indicativa e deve somar R$ 572,5 mi em IPO

A Vittia Fertilizantes e Biológicos estabeleceu na quarta-feira, 07, a faixa indicativa de preço na sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), entre R$ R$ 7,80 a R$ 9,80.


Desse modo, a operação deverá somar cerca de R$ 572,5 milhões, levando em conta o ponto médio da faixa, R$ 8,80, e a venda de integral do lote base.


De acordo com o documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a oferta será primária (com 23.457.591 ações), ou seja, quando os recursos levantados vão para o caixa da companhia, e secundária (com 41.604.046 ações), quando os atuais acionistas vendem parte de suas fatias.


No entanto, existe ainda a possibilidade de a oferta ser acrescida de um lote adicional de até 20% do total de ações inicialmente ofertado, em até 13.012.327 papéis, e um lote suplementar de até 15% do total, em até 9.759.245 ativos.


O início do período de reserva será no dia 14 de abril e encerrará no dia 27 do mesmo mês.


A precificação está prevista para acontecer no dia 28 de abril.


A estreia das ações no Novo Mercado da B3 deve acontecer dia 30 de abril, negociadas sob o ticker VITT3.


A operação é coordenada por Morgan Stanley (líder), Citi, Itaú BBA e XP.


Os recursos provenientes da ação serão utilizados para:

  • Aquisições (45%)

  • Expansão (40%)

  • Modernização (15%)

Sobre a Vittia Fertilizantes


O Grupo Vittia, presente no mercado há 50 anos, é constituído pelas empresas Biovalens, Granorte, Samaritá, Vitória Fertilizante, Biosoja e JB Biotecnologia.


Por meio de pesquisas, desenvolvimento e tecnologia, o grupo se dedica a produzir insumos de alta tecnologia para a agricultura.

Seus investimentos em pesquisa e desenvolvimento totalizam R$ 14 milhões.


O Grupo atua em todo o país e possui oito unidades industriais, sendo que cinco estão localizadas no estado de São Paulo e três em Minas Gerais.


Líder nacional no mercado de Inoculantes, atende atualmente 25% de toda a área de soja do Brasil e possui forte atuação nas culturas do café, milho, feijão, algodão, cana-de-açúcar, entre outros.